segunda-feira, 19 de julho de 2010

Ele, Aquele, Este e João

Ele vinha com sua coragem, na loja de penhores queria troca-la por medo, mas o dono dizia:

-o medo vale muito mais, vale tanto mais que nem com mil coragens você compra um medo.


Ele entendia o motivo, no fundo compreendia que realmente o medo valia mais. E como não podia fazer nada com sua coragem numa sociedade como aquela, resolveu mendigar...



Aquele vinha de muito distante, e trazia consigo o altruísmo, na loja de penhores queria troca-lo pela covardia, mas o dono sempre dizia:

-a covardia vale infinitamente mais, vale tanto mais que nem com dez mil altruísmos você compra uma covardia.


Aquele então entendeu o motivo, no fundo compreendeu, que realmente a covardia valia mais. E como não podia fazer nada com seu altruísmo na sociedade em que vivia, resolveu mendigar...



Este vinha de tão longe, que nem cem mil distâncias comprariam seus pés, então ele foi para a loja de penhores e trocou seus pés por nada, o dono tinha dito:
-seus pés valem tanto que nada pode comprá-los...


Este então, com nada, e sem pés, não podia fazer nada com seu nada na sociedade contemporânea, resolveu mendigar...



Um belo dia João, um humilde filho de gângsters, com intenções de ajudar as pessoas de rua, saiu com um monte de coisas numa sacola, e olhando o horizonte, percebeu ali Ele. Ficou com pena, pois via que tinha muita coragem. Pegou o medo da sacola e deu a Ele, o que fez com que Ele pudesse viver como um cidadão comum.

  Não contente com esse lindo ato, continuou caminhando durante horas pela cidade, até que avistou ninguém mais, ninguém menos, que Aquele, e disse:

-Tome, aqui esta a covardia que tanto precisa, pode me dar seu altruísmo. Aquele saiu covarde como nunca tinha se visto, e João já tinha coragem e altruísmo na sacola.

Em suas últimas horas pela cidade, após distribuir dívidas e praticar todo o tipo de maldade em prol dos mendigos, João leva um grande susto, ao se deparar com um homem sem pés, ele para diante de Este e diz: Oh!! O que aconteceu? Vejo que não tem pés, mas apesar disso tem nada em troca de seus pés, o que poderei eu fazer por você?

Então, João caminhou, e caminhou, refletiu, e percebeu que assim como aqueles mendigos precisavam de medo e covardia, Este precisava de pés. E João entendia que o altruísmo e a coragem seriam muito importantes pra si na carreira de gângster, assim como o medo e a covardia eram importantes para Ele e Aquele. Apesar disso, João só aprendeu o medo e a covardia com o pai, pois apesar das situações perigosas em que os atiradores se metiam, seus alimentos geralmente eram o medo e a covardia. E com a coragem e o altruísmo sentia algo que nunca sentira antes, a vontade de realmente ajudar alguém.

Em casa João pegou um faca e foi encontrar Este de novo. Arrancou seus dois pés em praça pública e os deu para Este. Este entregou nada a ele, agradeceu e foi embora. João ficou sem pés mendigando.

Um dia, resolveu ir a casa de penhores, chegando lá implorou:

-por favor dono!! Por favor!! Troque minha coragem e meu altruísmo por pés. Eu preciso de pés, mais do que de altruísmo, pois esse altruísmo todo vai fazer eu dar todos os meus membros. E preciso de pés mais do que de coragem, pois tanta coragem me faz acreditar em uma esperança para minha vida ordinária! Por favor!!!
Comovido
dono retira toda a coragem e altruísmo de João
e dá a ele o medo e a covardia
para que consiga viver em harmonia com a vida mendiga

2 comentários:

Rafael disse...

PORRA, FODA!!!
Um novo clássico da literatura mundial. Um orgulho para a escrita açaisástica.

Quem é a dona das mente feminina? disse...

Foda (2)
Interessantissiomo, você já oensou em escrever um livro com os contos :)